jun
15
2012

Dez tendências de TI que os CIOs devem ficar atentos

Gerenciar e administrar sistemas de informação de uma empresa não se limita a saber o estado atual dos equipamentos e demais soluções. É preciso se antecipar às mudanças tecnológicas que estão à frente e preparar o ambiente para as futuras arquiteturas de TI.

Por isso, as principais consultorias do mercado tendem a produzir listas que antecipam quais tecnologias serão estratégicas para o CIOs. O instituto de pesquisas Gartner identificou as dez principais tendências tecnológicas que terão grande impacto nos negócios nos próximos meses. Veja abaixo.

1. MDM
A ascensão de dispositivos móveis, como os tablets, está tornando os processos de gestão desses terminais bastante caro e complexo. À medida que se amplia o número de usuários móveis, ferramentas degerenciamento de dispositivos móveis inteligentes (MDM) serão essenciais para apoiar as várias configurações e controlar o ciclo de vida desses equipamentos.

Por essa razão, o Gartner acredita que os CIOs devem desenvolver políticas de mobilidade para mitigar o risco associado à perda de dispositivos e também considerar uma estratégia de apoio à diversidade para alinhar o desejo de segurança e o controle da empresa com a escolha do usuário final.

2. Aplicações focadas em interfaces móveis

A gestão de aplicações e de dados dos smartphones é muito mais importante do que o terminal de gerenciamento em si. Um aplicativo pode operar em vários sistemas operacionais e o CIO deve estar ciente de que cada equipe trabalha de maneira diferente e gerencia as informações de forma totalmente oposta. O Gartner recomenda que os líderes de TI estabeleçam um centro de competências para dispositivos móveis com o objetivo de prover a atenção adequada a essa área.

3. Experiência contextual e social
Context-aware computing usa informações do usuário final ou do ambiente, suas atividades, conexões e preferências para melhorar a qualidade de interação com o usuário. O Gartner acredita que até 2015, 40% dos proprietários de smartphones permitirão que prestadores de serviços contextuais acompanhem suas atividades diárias.

4. Internet das coisas
A web deverá crescer graças a uma variedade de sensores e de inteligência artificial, permitindo que todos os tipos de objetos se comuniquem e se autogerenciem com base em informações fornecidas por outros elementos físicos. A tendência, também chamada de machine to machine (M2M), está desenhando conversas em torno de cidades inteligentes, mas também será refletida no mundo corporativo.

5. Lojas de aplicativos
Até o final deste ano, mais 31 milhões de donwloads de aplicativos serão realizados. A infinidade de opções torna difícil distinguir entre as de consumo e as de finalidade empresarial. Portanto, o CIO terá de controlar a forma como o usuário utiliza essas lojas, e que tipo de aplicações baixam pela nuvem.

6. Nova geração de análise
Tudo interligado. Esse cenário obriga as companhias a ter um sistema para entender, gerenciar e analisar a avalanche de informações, tirar conclusões, sem erros e em ambientes de nuvem, onde a demanda de recursos não pode sobrecarregar a infraestrutura da empresa.

7. Big Data
O rápido crescimento da tecnologia de consumo e a queda dos custos unitários de processamento, armazenamento e comunicações resultaram em um aumento exponencial das informações disponíveis nas organizações.

Ao lidar com Big Data, sistemas de arquivos precisam de uma camada de abstração para permitir o processamento rápido de dados. Essas tecnologias incluem sistemas de arquivos.

8. Computação in-memory
Nesses ambientes, o principal repositório de informação está em um armazém na memória do computador ou na rede. Embora essa abordagem tenha uma série de vantagens, como maior velocidade ao acessar os dados, também envolve uma revisão da concepção de aplicações usando a tecnologia in-memory [em especial bancos de dados] para garantir que o desempenho da arquitetura não seja comprometido.

8. Servidores de baixo consumo
São máquinas construídas com processadores projetados originalmente para ambientes de baixo consumo de energia, resultando em reduções significativas de contas de energia elétrica em data centers grandes ou pequenos.

9. Cloud computing

O Gartner estima que até 2015, quase 5% de todas as máquinas virtuais vão executar a modalidade infraestrutura como serviço (IaaS). Os CIOs devem ser capazes de trabalhar com provedores distintos de cloud, pública ou privada, assim como seus próprios sistemas on premise em busca de melhor performance a um custo reduzido.

.

Fonte: Originalmente publicado por ComputerWorld em 15 de junho de 2012 – 07h30