jan
20
2012

ARM terá grande impacto no mercado de servidores em 2014

A fabricante ARM espera ter sério impacto no mercado de servidores a partir de 2014, quando seu design de processador 64-bit for lançado, afirmou o CEO da companhia, Warren East.

Fabricantes de servidores anunciaram sistemas experimentais com processadores ARM de baixo consumo, o que é um grande impulsionador de confiança para empresa, disse East durante entrevista na Consumer Electronics Show (CES 2012), em Las Vegas, na semana passada. Mas pode levar mais alguns anos até que a companhia tenha as ferramentas e a arquitetura do processador acertadas para realizar usar quantidades significativas no mercado, explicou o CEO.

A ARM começou a “perseguir” o mercado de servidores em 2008 e percebeu então que essa seria uma jornada de seis anos, afirma o executivo.

Atualmente, a ARM é encontrada em sua maioria em smartphones e tablets, mas há um interesse crescente em usar os processadores de baixo consumo da empresa em servidores à medida que as companhias buscam cortar custos com data center. Experiências para implementar os chips da ARM em servidores já estão a caminho com a HP (Hewlett-Packard) anunciando desenvolvimentos de servidores baseados na ARM e a fabricante de chips Nvidia misturando seus processadores Tegra 3 e processadores gráficos em um supercomputador Barcelona.

Mas como uma novata no mercado, a ARM precisa destronar a Intel e a AMD (Advanced Micro Devices), cujos chips x86 dominam os datas centers. Os processadores atuais da ARM tem apenas 32-bit contra 64-bit dos x86, o que East reconheceu ser uma desvantagem, especialmente com servidores.

“Há um conjunto de outras aplicações de servidores em que o software foi escrito assumindo que há um processador de 64-bit ali. Hoje a ARM é uma empresa de processadores 32-bit e por isso só temos que aceitar o fato de que não podemos realizar essas cargas de trabalho de servidores em que há essa suposição de 64-bit.”

Em outubro, a ARM apresentou sua primeira arquitetura de microprocessadores 64-bit, a ARMv8, sendo que protótipos para consumidores e sistemas de empresas não são esperados antes de 2014. O ARMv8 terá mais memória e capacidade de armazenamento, que são importantes para aplicativos rodando em servidores.

“Está chegando. Se há dez anos nós disséssemos que estaríamos no mercado de servidores em 2012, então talvez tivéssemos começado a fazer chips 64-bit um pouco antes e estaríamos mais à frente. Mas não há motivo para preocupação. Penso que o momento é esse”, explica East.

Enquanto a ARM abre seu caminho no mercado de servidores, a Intel está lançando chips de baixo consumo para competir com a ARM no mercado de smartphones e tablets. A Intel anunciou na CES 2012 que seu processador de codenome Medfield será usado em smartphones da Lenovo e da Motorola.

.

Fonte: Originalmente publicado por IDG NEWS SERVICE (EUA) em 19 de janeiro de 2012 – 10h41