dez
21
2011

Software ganha espaço na HP Brasil

Embora a HP tenha registrado queda de 91% nos lucros no último trimestre, a divisão de Software foi a que obteve melhor resultado no período, graças ao crescimento em licenças e serviços conquistou receita 28% maior do que em igual período de 2010. No Brasil, na contramão do resultado geral, entre os cinco negócios da HP [PCs, impressoras, servidores, storage e network, software e serviços] a divisão de Software também fechou em alta, aponta Silvio Maemura (foto), diretor da área na HP Brasil.

“Conquistamos melhor desempenho em crescimento e lucratividade operacional, isso porque o segmento de serviços registrou expansão em cima da base de software”, afirma Maemura, sem, no entanto, revelar números. As verticais Finanças e Telecomunicações responderam por grande parte da demanda, completa. Ele aposta que nos próximos meses governo também terá destaque, já que se aproximam os megaeventos que o País vai sediar.

O setor liderado por Maemura conquistou essa marca, aponta, com base em uma estratégia diferenciada. “Investimos em equipe, treinamento e desenvolvimento de canais para melhorar a qualidade das implementações, refletindo na satisfação do cliente”, assinala. Segundo ele, a HP Brasil expandiu em 30% a base de parceiros nos últimos meses e está em busca de empresas em todo o País, especialmente no Sul, Minas Gerais e Brasília. “Queremos expandir nosso alcance e vendas indiretas”, estima.

Para 2012, o executivo aponta que com a adição de soluções de segurança no portfólio nacional, como o HP Fortify, que já é comercializado fora do País, a área deverá saltar. Essa movimentação vai atrair ainda, de acordo com ele, companhias parceiras interessadas em alinhar as tecnologias às necessidades dos clientes. “Não trabalhamos sozinhos. Precisamos estabelecer alianças para conquistarmos sucesso”, ressalta o executivo.

Cloud computing, que está na lista de interesse dos CIOs, também trará oportunidades para a HP. “Conforme as empresas se tornam mais maduras na adoção de tecnologias e arquitetura em nuvem, segurançaserá foco de investimento”, explica.

Além disso, prossegue, haverá aumento da necessidade por soluções que permitam ao gestor de TI saber tudo o que está acontecendo na área. “Mapear demanda de forma ampla será ponto de atenção nas companhias no próximo ano”, pontua.

Na opinião de Maemura, na operação global da HP, o Brasil apresenta mais estabilidade financeira e por isso as expectativas são grandes. “Enquanto a economia em outros países flutua, a nossa está melhor e esse cenário reflete diretamente nos negócios”, finaliza.

.

Fonte: Originalmente publicado por COMPUTERWORLD em 21 de dezembro de 2011 – 10h00