jun
14
2012

HP desafia rivais para demarcar território

Até mesmo visitantes menos atentos do HP Discover, evento que a fabricante realizou em Las Vegas (EUA) na semana passada, puderam notar uma diferença clara na postura dos executivos da companhia: eles estão mais agressivos. Com exceção da CEO Meg Whitman, a maioria das apresentações feitas durante o evento foi recheada de comparações nominais feitas a concorrentes como Oracle e EMC.

Em relação à Whitman, parece que o board da companhia reservou a ela o papel de relações públicas das estratégias da companhia. Em sua fala, na abertura do evento, a CEO procurou clarificar a estratégia da HP, afirmando que o foco da companhia é infraestrutura. “PCs, impressoras, servidores e outros equipamentos representam 70% de nosso negócio. Também estamos no mercado de software, mas ajudando nossos clientes a resolver problemas com sua infraestrutura. Não estamos aqui para transformar a HP em uma empresa de software”, disse.

Resumindo a estratégia da empresa, Whitman afirmou que o futuro da HP é o poder do software, hardware e serviços entregues como soluções. “É mais do que a soma destas partes”, disse.

Um dia antes da apresentação da CEO, o vice-presidente do grupo de soluções corporativas, Dave Donatelli, deixava claro para a imprensa que o foco da área da storage da HP era deixar para trás a EMC e a NetApp. No mesmo dia, David Scott, vice-presidente sênior da área de storage da fabricante, apresentava um comparativo que, de acordo com a HP, mostrava que sua solução era cinco vezes mais rápida que a EMC Data Domain e apresentava um case da Metro PCS, companhia que trocou a solução da concorrente pela da HP.

Scott também fez questão de citar, ao falar dos blades da HP, que a companhia já vendeu mais equipamentos que a Dell, IBM e Cisco combinadas. E fechando o dia, Donatelli encerrou as apresentações respondendo a um jornalista que a “IBM não compete conosco. Seu foco são os sistemas tradicionais”. No dia da apresentação de Whitman, à tarde, o vice-presidente de soluções e alianças estratégias de Big Data, Paul Miller, voltou à carga, desta vez comparando um dos lançamentos da companhia ao Oracle Big Data Appliance.

O ponto é: nunca se viu a HP citar e comparar-se a tantos concorrentes em tão pouco espaço de tempo. E a explicação também veio rápido. “O mundo está mudando, e a forma como as soluções se apresentavam 10 anos atrás não funciona mais. Precisamos mostrar o quanto estamos nos aproximando da situação ideal, e a comparação direta é inevitável”, explicou Carlos Toledo, diretor de vendas da área de storage da HP Brasil.

Denoel Eller, diretor da área de servidores, storage e redes da HP Brasil, concorda. “Estamos fazendo comparações mais explícitas, isso é um fato”.O fato abre aos concorrentes a possibilidade de atingir a companhia onde ela não for tão forte. Na prática, isso significa que o mercado deve ficar mais animado nos próximos meses.

.

Fonte: Originalmente publicado por Convergência Digital em 13/06/2012