ago
23
2012

HP apresenta resultados trimestrais superiores aos da Dell

A HP anunciou nesta quarta-feira (22/08) perdas de 8,9 bilhões de dólares para seu terceiro trimestre fiscal, encerrado em 31 de julho. O resultado é considerado o pior da história da companhia. A receita total da empresa no trimestre foi de 29,7 bilhões de dólares, 5% menor do que no ano anterior.

Boa parte da perda deve-se à depreciação de 8 bilhões de dólares que a HP anunciou que assumiria no início do mês contra sua divisão de serviços de TI. A depreciação relaciona-se ao que é chamado “prejuízo da boa fé” que é associado a bens intangíveis, como valor e força da marca, que são levados em conta quando se calcula o valor total de mercado de uma empresa.

A depreciação está sendo relacionada principalmente ao fraco desempenho da divisão de negócios EDS (Electronic Data Systems) que a HP comprou em 2008 por 13 bilhões de dólares e que foi largamente criticada pelo mercado.

Se não fossem feitas as depreciações, o lucro da HP no período seria de 1,97 bilhão de dólares, 9% menor que no ano anterior e mais do que o dobro do lucro apresentado pela Dell (US$ 732 milhões).

“A HP está ainda nos estágios iniciais de um período de reviravolta nos seus negócios e estamos fazendo grandes progressos avançando contra o vento. Nesse trimestre tomamos medidas importantes para nos concentrar em prioridades estratégicas, gestão de custos, mudanças corporativas e melhoria do balanço. Continuamos a entregar o que prometemos que faríamos”, disse Meg Whitman em declaração aos analistas

A área de equipamentos pessoais (Personal Systems Group) teve queda de receita total de 10% comparada com o mesmo trimestre do ano passado. Dentro da divisão, desktop PCs tiveram queda de 6% nas vendas e notebooks caíram 12%. A divisão de negócios de imagem e impressão (Imaging and Printing Group) ficou com a receita 3% menor que no ano anterior, mesma queda experimentada pela receita na área de serviços.

Servidores corporativos, networking e storage caíram juntos 4% em vendas, sendo que a maior queda veio da área Business Critical Systems, com queda de 16%. Vendas de networking subiram 6% e as vendas de software cresceram 18%, impulsionadas especialmente pela compra da Autonomy. No entanto, o crescimento de vendas de novas licenças de software foi de apenas 2%, enquanto que o suporte cresceu 16% e os serviços de software cresceram 65%.

Sua principal rival, a fabricante de computadores Dell, fechou seu segundo trimestre do ano fiscal, encerrado em 3 de agosto, com receita de 14,48 bilhões de dólares. A receita foi 8% menor que no ano anterior e o lucro caiu 18% comparado também com o mesmo período do ano anterior.

O grande impacto na receita foi gerado pelas áreas de desktop PCs e notebooks, responsáveis pela maior parte do faturamento da empresa. Enquanto notebooks ficaram 19% abaixo do desempenho do ano anterior, os desktop tiveram queda de 9% na receita.

.

Fontes: Originalmente publicado por ComputerWorld em 22 de agosto de 2012 às 19h30 e 22 de agosto de 2012 às 18h52