mar
28
2012

HP afirma que Oracle tem comportamento anticompetitivo

A briga entre a Oracle e a HP sobre o caso Itanium está longe do fim. Segundo comunicado enviado pela HP, “informações apresentadas por executivos da Oracle durante a fase de levantamento de dados do processo deixam claro comportamento anticompetitivo da companhia”.

Para embasar essa afirmação a HP aponta algumas frases da Oracle sobre o relacionamento entre Oracle e HP. Uma delas preferida por Larry Ellison, diretor-executivo da Oracle, diz: “A HP é um parceiro importante para nós (…) é claro que todo software da Oracle continuará a operar em equipamentos da HP e vamos ajustá-lo para fazê-lo funcionar”.

O embate entre as organizações começou em março de 2011, quando a Oracle anunciou o fim do desenvolvimento de aplicações para máquinas equipadas com processadores Intel Itanium. A HP, em resposta, recorreu à corte para que a Oracle voltasse a dar suporte à tecnologia.

“É momento de a Oracle parar de buscar acusações sem base e honrar os seus compromissos com a HP e com os nossos clientes comuns”, alfinetou a empresa de Cupertino.

Segundo a HP, as declarações de que o Itanium estava no fim da vida são falsas. “Há um compromisso de suporte para Itanium que se estende até o fim desta década. Os fatos relacionados ao roadmap do Itanium não podem ser questionados”, afirmou no comunicado à imprensa. “A existência de um contrato HP/Intel confirmou que havia (e há) um plano para produção ininterrupta de múltiplas gerações de microprocessadores Itanium, com o apoio de um contrato, tornando os argumentos da Oracle ainda mais infundados”, completou.

A HP informa que está, no momento, tomando duas ações contra a Oracle. A primeira petição da HP busca decisão e uma declaração do tribunal para que a Oracle tenha obrigação contratual de continuar a oferecer o produto de software em plataformas de servidor baseadas em Itanium da HP, de maneira consistente com a forma como esses produtos foram ofertados antes da contratação, pela Oracle, de Hurd em setembro de 2010, afirma o comunicado.

A segunda petição, diz o comunicado, busca sentença sumária e indeferimento da reconvenção da Oracle e das suas alegações contra a HP. “A Oracle teve a oportunidade de fazer ampla descoberta sobre essas alegações, porém não desvendou nada que apoiasse essas alegações. A petição da HP busca agilizar esse caso para julgamento e focar naquilo de que realmente ele trata: o erro de conduta da Oracle ao violar o contrato de parceria”, finalizou.

.

Fonte: Originalmente publicado por ComputerWorld em 27 de março de 2012 – 19h02