mai
10
2012

Em parceria com F5, HP promete criação de apps em cloud em minutos

A HP deu mais um passo no processo virtualização baseado na tendência de Software Defined Networking (SDN, ou sistema de definição de redes) ao anunciar, na segunda-feira (07/05), uma parceria com a F5 para entregar a tecnologia que unifica a gestão dos níveis 1 a 7 de rede, atingindo aplicações e usuários. O HP Virtual Application Networks (VAN), que virtualiza redes e automatiza configurações, agora agrega o F5 Application Delivery Networking (ADN), que abrange o mesmo serviço para aplicações.Com isso, a companhia promete a redução de meses, para minutos, do desenvolvimento de aplicações em cloud.

“Software é a chave para nossa estratégia de trazer facilidade para o consumidor e para a rede corporativa”, afirmou a vice-presidente sênior da área de networking da HP, Bethany Mayer, em apresentação da nova solução a jornalistas, realizada na segunda-feira (07/05), durante o Interop (Las Vegas, EUA). A ideia é reduzir o tempo gasto na gestão do ambiente e diminuir erros causados pela inserção manual de informações no processo de configuração. Segundo a executiva, anteriormente ao anúncio a tecnologia separava a gestão até o nível 3 e do nível 3 para baixo. A central de gestão estará unificada no HP Intelligent Management Center (IMC).

O produto apresenta uma visão completa da rede, prometendo passar a programação de um ambiente físico e rígido para outro programável e multi-tenant . Se valendo de padrões para tecnologia de rede, tais como o  OpenFlow, a VAN consegue caraterizar necessidades de entrega de aplicações, configuração de rede e políticas de abordagem direcionadas.

De acordo com a HP, em testes feitos com Microsoft Exchange, a solução aumentou a eficiência do administrador em 33%, além de ampliar em 60% a densidade de máquinas virtuais, enquanto acelera a performance das aplicações em três vezes para servidores virtualizados. O combinado promete ainda reduzir de 20 minutos para 38 segundos o tempo que demora para mover uma máquina virtual entre data centers para recuperação de desastres.

Para embasar a estratégia da empresa com a novidade, a executiva fez uma avaliação do que é prometido pela tecnologia de cloud computing e o que realmente é empregado: desenvolvimento de aplicações em minutos, contra uma realidade de três meses, em média; ligação à rede a partir de qualquer dispositivo (o que é chamado Byod, o movimento Bring Your Own Device), mas os fatos mostram que 60% das empresas entrevistadas ainda não definiram quais dispositivos móveis serão conectados ao ambiente; e gestão simplificada, ante um ambiente no qual 70% das quedas de sistema são causadas por problemas de configuração na Command Line Interface (CLI). Para este último caso, a fabricante lembra que uma rede típica de data center demanda mais de 250 mil comandos manuais para implementação de network e mais de cem mil inserções na configuração manual.

Segundo a executiva, a oferta é o resultado de um processo antigo da companhia focado na melhoria das soluções. “O que fizemos no passado demanda inovação, e não apenas jogada de marketing”, disse Bethany, que assumiu o cargo de VP em outubro do ano passado, cerca de cinco meses do executivo anterior, Marius Hass, deixar a cadeira.

As vendas começarão em junho deste ano nos Estados Unidos e América Latina.

Outras novidades

A companhia anunciou ainda outras iniciativas para que a rede corporativa atenda às novas demandas de cloud computing:

  • Bring Your Own Device (Byod): para garantir a segurança da rede com o processo de uso de tecnologia pessoal em ambiente de trabalho, a companhia anunciou que o HP IMC unificará o controle de dispositivos presentes no ambiente, sejam da empresa ou do funcionário;
  • HP DVPN: para automatizar o processo de configuração e desenvolvimento de networks virtuais privadas (VPN, da sigla em inglês), a companhia permite o desenvolvimento de roteadores com “toque zero”, através do HP IMC, usando a solução HP DVPN
  • HP 10500: o switch promete aumentar a performance da aplicação de vídeo e voz com 75% menos latência e rendimento 1090% melhor em relação a outras ofertas.

.

Fonte: Originalmente publicado por IT Web em  8 de maio de 2012