out
8
2012

Virtualização e nuvem puxam mercado de servidores

O mercado de servidores está maduro e concentrado nas marcas tradicionais do setor. O Gartner avalia que o segmento continuará crescendo e oferecendo oportunidades de negócios para indústria. Data centers e as pequenas e médias empresas (PMEs) estão entre os principais compradores, mas fornecedores têm desafios a vencer.

“O mercado de servidores vendeu 52,8 milhões de unidades no mundo em 2011 e, embora seja maduro, irá proporcionar oportunidades significativas de crescimento nos próximos anos”, diz o analista do Gartner Kiyomi Yamada. A demanda por maior capacidade de processamento, virtualização e soluções para eficiência energética são alguns dos fatores que vão gerar novos negócios para essa indústia.

Jeffrey Hewitt, vice-presidente de pesquisa do Gartner, observa que, apesar de o mercado de servidores ser atualmente muito competitivo, oferece uma margem de lucro pequena. A prevalência de plataformas padrão (x86) também torna a vida dos fornecedores mais difícil na hora de diferenciar seus produtos.

Para mudar esse quadro, as empresas têm feito esforços significativos, criando linhas para equipar infraestrutura convergente, baseadas em sistemas integrados. Porém, Hewitt afirma que as fabricantes de servidores têm o desafio de inovar e responder rapidamente às demandas dos clientes.

Três fatores de crescimento

O Gartner destaca três motores que vão puxar esse mercado. O primeiro é a demanda pelos data centers de máquinas escaláves. Empresas como Google, Amazon e Facebook têm grandes centros de dados para atender seus clientes externos e precisam de um grande número de servidores hyperscale.

A procura por essa máquinas já representam 11% das vendas de servidores, de acordo com a Gartner. As projeções da consultoria são de que esse índice subirá para 17% em 2015.

O segundo fator que impulsionará esse mecado é o aumento crescente de virtualização de servidores. O Gartner estima que os servidores físicos virtualizados representarão em três anos 17% das vendas do setor. A consultoria aponta que esses equipamentos serão procurados especialmente por empresas públicas. As pequenas e médias empresas (PMEs) também devem apostar nesta tecnologia, estimulando este mercado.

A preocupação dos data centers por implantar tecnologias que melhorem a eficiência e gastos energéticos é o terceiro driver desse mercado.

.

Fonte: Originalmente publicado por COMPUTERWORLD (ESPANHA) em 05 de outubro de 2012 – 12h45